Imprensa e Relacionamento Público

Notícias, Novidades e matérias Nacionais e Internacionais

Thursday, 30 March 2017 14:47

Comissão da CBDEL visita Parque Olímpico

Rate this item
(0 votes)
Parque Olímpico, Rio de Janeiro,RJ Parque Olímpico, Rio de Janeiro,RJ CBDEL

Uma comissão da CBDEL realizou uma visita técnica ao Parque Olímpico no Rio de Janeiro, no dia 16/03/2017 para tratar sobre o Legado Olímpico e sua utilização pela CBDEL.

 (Fotos e Vídeo abaixo da matéria)

A comissão formada pela Presidência, Daniel Cossi e Victor Martin, presidente e vice-presidente da CBDEL respectivamente, e pelos membros da diretoria da CBDEL, Rafael Serour, Antonio Pinheiro E Augusto Palhares, diretor de relações educacionais, diretor de relações institucionais e diretor jurídico, respectivamente, estiveram no Parque Olímpico em uma visita técnica ao Legado Olímpico, acompanhados de profissionais do Ministério do Esporte, Secretaria de Esportes de Alto Rendimento e da Secretaria Executiva da Câmara dos Deputados do Rio de Janeiro, para avaliar a viabilidade de utilização das arenas esportivas para o esporte eletrônico institucional, educacional, social e profissional.

Visita Tecnica da CBDEL, ao Parque Olimpico 
Visita Tecnica da CBDEL, ao Parque Olimpico

A visita técnica se concentrou no Velódromo, arena utilizada para as competições de ciclismo indoor nas Olímpiadas Rio 2016. Localizada no Parque Oímpico da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, o Velódromo é uma arena desportiva feita inicialmente para o ciclismo indoor, entregue pelo ME no dia 26/06/2016, teve um investimento de R$ 143,5 milhões (sendo R$ 118,8 milhões do Ministério do Esporte (R$ 112,9 milhões para construção e R$ 5,9 milhões para manutenção) e foi executado pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Outras importantes características são marantes numa fenomenal obra da engenharia brasileira, segundo o website Brasil2016 do governo brasileiro: "...A pista de 250 metros é feita de pinho siberiano e foi desenhada pelo especialista alemão Ralph Schürmann. As placas e tesouras de madeira que dão suporte ao piso foram importadas da Alemanha. Foram utilizados cerca de 55 quilômetros de madeira e 94 treliças, além de 1,2 tonelada de pregos. O tipo de pinho utilizado é menos suscetível à umidade e ao calor, o que torna a pista mais durável. A instalação terá flexibilidade para outras configurações de arena e permitirá que o Rio de Janeiro possa sediar competições internacionais após os Jogos..."

Além dessas características outros aspectos são notáveis como controle de humidade em todo o complexo, ar condicionado em perfeito estado, instalações de banheiros totalmente funcionais, além de várias salas, entrada, áreas e emergências, atendimento médico, entre outras dependências para alimentação.

Tudo isso será essencial para o nosso projeto de utilização da Arena Velódromo, teremos aqui instalada a Universidade Internacional de Esports, já em implantação em São Paulo, alem de uma arena como nunca se viu, utilizando tecnologia completamente nova e diferente do que se tem hoje em dia habitualmente nas arenas de esports. Além disso salas para aulas, treinamento de coaching, referee, atletas, psicologia, programação 3D e virtualização, commentator, caster, aulas de tecnica de hardware e software, marketing desportivo, aulas para comercio e desenvolvimento de eventos esports, aulas para broadcasting, e salas para empresas desenvolvedoras, workshops semanais, area permanente de desenvolvimento de cosplay, e a própria arena de esports dividida em 3 paucos, para aulas e eventos propriamente ditos, tudo para um novo marco do esporte eletrônico brasileiro. Aqui também estarão a PAMESCO (Pan American Esports Confederation) e a WeSCO (World Esports Consortium) além de outras entidades como a IeSF (International Esports Federation) entre outras. Até mesmo salas para os times da primeira divisão do esporte eletrônico brasileiro estarão disponíveis no local, salas de reuniões e outras dependências que se tornam cruciais para o desenvolvimento das atividades dos times, Federações Nacionais e desenvolvimento mundial do esporte eletrônico - explicou Daniel Cossi, presidente da CBDEL.

O Ministério do Esporte se mostrou muito entusiasmado com o projeto e da total apoio a iniciativa que a CBDEL que já garante para si essa proposta perante o Legado Olímpico. Apoiam a CBDEL em sua totalidade a ACRio, Associação Comercial do Rio de Janeiro, entre outros orgãos e Centros de Gestão da cidade do Rio de Janeiro.

Todos terão seu espaço conosco, inclusive os eventos autorais de esportes eletrônicos, o das desenvolvedoras e os particulares também, sejam eles do cenário informal, profissional ou educacional e inclusivo. Estamos abertos a todos e a intenção nossa é sempre essa a de agregar, nunca a de separar ou proibir. O esporte eletrônico deve ser realizado de maneira responsável, sustentável e profissional de ponta a ponta - complementou Victor Martin, Vice-presidente da CBDEL.

As tratativas estão em andamento e ainda nesse semestre a CBDEL já espera iniciar as operações no Velódromo que terá seu nome rebatizado após o início de suas atividades para com o esporte eletrônico. 

Read 553 times Last modified on Thursday, 30 March 2017 18:04

Media